05/12/2017

Fazendo a feira

Posted in Aprovados (ou não) tagged , , , , , , , , , às 11:06 pm por Paula R.

IMG_0080

No último final de semana, fui com uns amigos na feira de pequenos produtores realizada todo primeiro sábado do mês na Cámara Agraria de la Comunidade de Madrid. O lugar é, basicamente, uma perdição! Tem produtos orgânicos de horta (legumes e verduras), queijos, azeitonas, azeites de mil tipos, pães, doces, massas frescas, licores, cervejas, vinhos… (Me lembra um pouco a feira de orgânicos do Parque da Água Branca, em São Paulo, que frequentei bastante em 2014. Saudade daquele café da manhã… Alguém sabe se a feira ainda existe?)

Tenho sempre que me controlar para não sair com uma coisa de cada e nunca me arrependo do que consigo levar para casa. A feira dá oportunidade de conversar com quem produz, saber mais sobre as mercadorias, tirar dúvidas de como preparar – apesar do espanhol ter fama de rabugento, no geral todo mundo me pareceu simpático por lá.

Logo na entrada, há uma barraquinha que vende fichas para degustação de vinho (3 degustações + a taça por 2) e de tapas, os petiscos espanhóis (3 tapas por 3). Na edição deste sábado, as opções de comida eram tortilla (tipo de omelete com batata) e mini hambúrguer, que estava bem gostoso.

Comprar do pequeno produtor pode não ser o mais barato, mas é mais saudável, mais saboroso e ainda contribui com o meio ambiente e com a economia de um jeito mais bacana.

Fichas para degustação de vinho e comidinhas dão um ar de quermesse. (A taça é para levar para casa!)

IMG_0182

Ravioli de massa verde com recheio de queijo manchego e aspargos trigueiros ( 5), da Pasta Fresca, foi o jantar do domingo. Dois minutos na água quente e, para servir, um fio de azeite da Ole un Olé! ( 9,50) – saborizado com trufas brancas. Madre mía! – e queijo de ovelha ralado (pedaço generoso por 5), da Peña Rubia.

IMG_0106

Dos vegetais, acabei arriscando o romanesco ( 2,50), um tipo de brócolis alienígena que, no lugar das arvorezinhas comuns, tem mini pinheiros. Depois conto se é fácil fazer.

Para fechar, me dei de presente um licor de turrón (doce natalino de amêndoas), de 9,50, do Alambique de Santa Marta. A bebida é basicamente a mistura do Baileys com o Frangélico (!!!). Entendedores entenderão.

Día de Mercado (aberto todo primeiro sábado do mês, exceto em janeiro)
Cámara Agraria de la Comunidade de Madrid
Paseo de la Puerta del Ángel, 4
Recinto ferial Casa de Campo, Madrid (ESP)
www.camaraagraria.org

Anúncios

25/11/2017

Quem tem boca…

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , , às 6:18 pm por Paula R.

IMG_8896

… vai a Roma, já dizia o ditado, que não estava ligado à comida, mas deveria.

Não imaginava voltar para a terra da pizza tão cedo, porém quis a vida (e uma amiga muito querida que mora por lá) que tivesse a oportunidade de retornar dois anos depois e confirmar: se tem um lugar que leva a comida a sério, este lugar é a Itália.

Vivi uma semana na dieta da massa (e sorvete!), dando suspiros ao final de cada refeição. Até mesmo os produtos básicos de supermercado – margarina, mortadela, pão, leite, suco, chocolate… – são uma delícia! As pizzas são grandes, individuais e com a massa fina, os antepastos enormes, o gelato de tomar rezando.

Voltei a alguns restaurantes, conheci outros, comi comida caseira, experimentei novos pratos e sabores. Na primeira vez, confiei demais na minha dedicação de registrar a viagem toda no blog e acabei parando no terceiro post. Para que isso não se repita, farei um resumo da experiência em fotos. Quase não se precisa das palavras, não é mesmo?

IMG_8799

IMG_8800

Abrimos os trabalhos com a pizzaria Buone Maniere, no bairro Centocelle, onde mora minha amiga. De entrada, voltamos a comer o supli (bolinho de arroz) e fechamos com pizza. A minha tinha prosciutto (presunto), cogumelos, queijo, azeitona e um inusitado ovo com a gema mole. Divina!

IMG_8895

Também voltamos ao Miscellanea, onde comi pizza da outra vez, para provar o macarrão a carbonara, que eu adoro (foto principal). O restaurante tem um preço honesto numa região bem turística (atrás do Pantheon) e vale à pena. Dois antepastos deram para cinco pessoas, enquanto a massa é individual – só cuidado com a cerveja, que estava $ 5 a caneca.

IMG_8994

O gelato, como é chamado o sorvete italiano (e aquela marca de picolés do Brasil nos anos 80), carrega daquelas doces maldições: te entrega o paraíso, mas deixa saudades eternas. Pistache, avelã, chocolate e café estão entre meus favoritos.

IMG_8999

Provei pela primeira vez o espaguete a cacio e pepe, que é levemente apimentado e é uma opção “leve” para noites em que não se quer comer muito. Aprovado! (Este da foto é do Artista).

IMG_8944

Resumindo: até a pizza napolitana do boteco simplesinho é uma delícia. Grazie, Itália!

Veja também:
> Post de 2015
> Sobre pizzas

11/10/2017

Geleia de morango

Posted in Receitas de doces tagged , , , , , às 9:42 pm por Paula R.

geleiatialu_2014

:. Especialmente para minha avó Liseika, meu pai e minha tia Lu.

Ingredientes
2 kg de morangos
700 g de açúcar
2 limões
Potes de vidro com tampa de metal

Pré-preparo
– A quantidade de geleia final é quase que 1/3 do volume inicial dos ingredientes. Tenha isso em mente na hora de separar os potes para armazená-la.
– Lave e ferva os potes de vidro por 15 minutos.
– Deixe secar totalmente antes de encher os potes com a geleia (e doces de frutas em geral).
– Se a ideia for deixar a geleia guardada por muito tempo, depois de encher os potes, tape-os e volte a ferver. Importante não deixar o vidro deitado ou a tampa do pote embaixo da água.

Modo de preparo (fotos no final)
– Lave os morangos, corte fora as folhas e pique em pedaços de médios a grandes.
– Coloque os morangos numa panela fora do fogão, acrescente o açúcar e misture.
– Deixe descansar por meia hora. (Esta etapa é opcional, mas poupa tempo e esforço físico de ficar mexendo a geleia).
– Esprema o suco do limão e leve a panela ao fogo médio, mexendo com certa frequência para não pegar no fundo.
– Quando começar a ferver, as frutas soltarão uma espuma branca, mas não é preciso se preocupar, pois ela logo se incorporará ao doce.
– Quando a geleia começar a escurecer e oferecer mais resistência à colher, prove um pouco para testar o açúcar. A proporção pode ser ajustada caso as frutas estejam mais ou menos doces.
– Mexa até ficar com uma consistência um pouco mais mole do que a de uma geleia comum, porque, depois de fria, ela vai endurecer um pouco. Se a ideia for usar a geleia como calda para sorvetes, manjares ou bolos, apure menos ainda.

:. Historinha…
Além de pães e torradas, esta geleia é uma delícia com iogurte natural, com queijo, requeijão e até com manjar branco. Nem dá para acreditar que uma receita tão fácil possa ficar tão gostosa! Para mim, é a melhor geleia do mundo! Lembro de, quando pequena, comê-la na casa da minha avó e depois crescer com meu pai e seus irmãos perfumando a casa na época de morangos. Não raro eles se presenteavam com um pote. (Isso acontece também com o licor de jabuticaba, o pêssego em calda, o doce de abóbora…). Hoje, sinto uma alegria e até um certo orgulho de perpetuar a receita. Uma maneira de me sentir perto de quem amo, mesmo longe, de me reconhecer parte de uma história, que também é feita de sabores.

geleia

24/09/2017

Casalzinho

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , , , às 7:35 am por Paula R.

matrimonio_set17

No Brasil, quando a gente fala de “Romeu e Julieta” num contexto de comida, quase todo mundo sabe que se trata de goiabada com queijo. O mesmo acontece aqui na Espanha com o “matrimónio”, que é como é conhecida a dupla dos peixes anchova e boquerón em conserva. O primeiro é mais salgadinho, o segundo mais suave. Se complementam e combinam muito bem com cerveja.

> Este da foto é da Taberna Mallaspina, bar com porções generosas, boas e baratas na região central. Para quem estiver turistando pela região da Puerta de Sol, vale uma passada.

Taberna Mallaspina
Calle de Cádiz, 9
Centro – Madri (ESP)
Site aqui.

> Postado originalmente no Insta.

15/09/2017

Combinando

Posted in Por aí tagged , , , às 9:19 am por Paula R.

salada_set17

Dizem que quanto mais colorido (e menos amarelo) está nosso prato, mais saudável ele é. Será que fazer ton sur ton com a mesa ganha pontos com os nutricionistas? (Juro que não foi de propósito, mas “vai que”…) .

Esta é a única foto de salada no Instagram até agora e foi até outro dia a mais curtida. Para evitar frustrações, achei melhor fazer um stories para avisar que vai que vai ter muito mais foto de doce do que de healthy food por lá. Gosto de transparência. 😉

:. Special thanks à minha amiga Maria Claudia, produtora involuntária desta ambientação.
:. Publicado originalmente no Instagram.

 

11/09/2017

Saudade de feijão tem nome?

Posted in Receitas de salgados tagged , , , , , , , , , , , às 6:06 pm por Paula R.

IMG_3246
Feijão em conserva da marca dos supermercados Ahorra Más (Madri, ESP)

Coxinha. Pão de queijo. Requeijão. Muçarela. Doce doce-de-verdade. Mandioca. Pão francês. Suco de fruta natural. Manga. Banana. Pizza boa. Enfim, neste tempo que tenho vivido na Espanha, a listinha de comidas que dão saudade sempre cresce, mas talvez, do dia a dia mesmo, o que eu mais sinta falta seja o feijão.

Não que não exista feijão aqui para comprar – não há o carioquinha nem o preto que estamos acostumados, por exemplo. O que é meio raro encontrar nas casas é panela de pressão; elas são caras e as pessoas não têm o hábito de usá-las, pois muita coisa já se compra cozida. Uma coisa leva a outra e o resultado é que acabo fazendo mais vezes lentilha para acompanhar meu arroz – o que é uma delícia, mas não é feijão.

Muitos grãos e legumes são vendidos já cozidos em vidros por aqui – feijão, lentilha, grão de bico, feijão branco, repolho e até beterraba -, mas confesso que acho meio esquisito. Sempre dou preferência para os itens frescos, mas às vezes me rendo à “alubia canela” um tipo de feijão que acho que se aproxima mais aos nossos.

Cubanos, sul-americanos e africanos

negatomasa_2015
Prato “ropa vieja” do restaurante cubano La Negra Tomasa (Calle de Cádiz, 9, Centro – Madri). O lugar é super turístico, mas o tempero é de vó. 🙂

montagem_aresbrasil_mad2016
Feijoada do Ares Brasil, restaurante brasileiro em Tetuán (Calle de Fereluz, 2 – Madri). A feijoada costuma ser aos finais de semana, mas melhor ligar para reservar.

Foi há pouco mais de 5 anos que descobri que nosso hábito de comer arroz e feijão vem da África. Estava numa Festa do Imigrante, em São Paulo, quando me deparei com um menu angolano de arroz, feijão, picadinho de carne e banana da terra frita e, “plim”, caiu minha ficha!

Como aqui em Madri só conheço um restaurante brasileiro (e que agora está longe de casa), quando a saudade aperta – principalmente de feijão preto -, recorro aos restaurantes cubanos, sul-americanos e africanos que encontro por aí. Os pratos vêm com arroz, carne desfiada, banana, salada… Há neles um certo ar de parcial universalidade, de identificação mesmo, como um elo com certas origens que nada têm a ver com este Velho Mundo. É bom.

Como salvar um feijão em conserva

IMG_3247
Feijão com carne moída virando chili beans.

Para tirar aquele gosto de “comida de bunker de guerra”, seguem algumas dicas para quem quer se arriscar nos feijões prontos:

– Escorrer e lavar os grãos já cozidos.
– Reservar um punhado e adicionar o restante a um refogado de alho, cebola e azeite na panela. Se gostar de bacon, refogar um pouco picadinho, junto com os ingredientes.
– Cobrir com o dobro de água, colocar no fogo médio e adicionar os temperos que está acostumado (sal, pimenta do reino, louro etc.).
– Amassar os grãos reservados e acrescentar à panela. Mexer esporadicamente e deixar abrir fervura para engrossar o caldo e fixar os temperos.

> Para quem tem panela de pressão, a receita de feijão está aqui.
> Com feijão cozido dá para fazer chili!

*** Dedicado a todos meus amigos brasileiros, que estão por perto nesta loucura que é  viver longe de casa.

Fotos: Paula R./ Órfã da Ofélia

Felicidade em dobro

Posted in Receitas de doces tagged , , , , , , às 3:24 pm por Paula R.

brigadeiroduplo_ago17

Alguém mais aqui é apaixonado por brigadeiro? Outro dia fui num aniversário em que usaram forminhas de camafeu para servir os brigadeiros e não consigo ver motivos pra eles não virem sempre assim!

“Gracias totales” à Marina GC, autora do brigadeiro, e à aniversariante Carol R., que proporcionaram esta belezinha. Quando se passa um tempo fora do Brasil, estes momentos são sempre especiais.

> Para quem quiser fugir um pouco da receita tradicional, pode testar a receita brigadeiro de café aqui do blog.

:. Publicado originalmente no Instagram.

09/09/2017

Tinto de verano

Posted in Bares/Restaurantes, Bebidas tagged , , , , , , às 9:07 am por Paula R.

tintodeverano_ago17

Minha bebida favorita do verão espanhol, o “tinto de verano”, é feito com vinho, água com gás e limão (ou “gaseosa”, algo na linha da nossa H2OH!). Vende em todos os lugares – até em garrafa pet! -, mas os melhores são preparados na hora. 🍷

Esta foto foi publicada no Instagram como #tbt, a hashtag que libera fotos antigas às quinta-feiras. O registro é do drink que fechou a minha estação no ano passado, no bar “El Mirador” que só abre na primavera e verão e tem a melhor vista de Madri, no Parque Cerro de Tío Pio.

Bar El Mirador
Parque del Cerro del Tío Pío,
Calle Ramón Pérez de Ayala, s/n, Madrid

:. Veja o post original no Instagram.

Churros sem fritura

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , , , às 8:55 am por Paula R.

bolochurros_ago17

Este bolo de churros estava na minha lista de desejos para quando chegassem minhas férias! Ainda bem que em certos dias a felicidade tem preço.

> Bolo de churros Mix Cake (R$ 65), serve 30 pessoas. Apenas por encomenda, para Araras (SP) e região.
☎️ (19) 98937-0585
FB: /mixcake

:. Publicado originalmente no Instagram.

Nutellamor

Posted in Por aí tagged , , , às 8:48 am por Paula R.

nutella_ago17

Como resistir à tanta educação?

:. Publicado originalmente em http://www.instagram.com/orfadaofelia.

Próxima página