30/11/2009

BarCaxeira

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , , , , às 6:40 pm por Paula R.

O restaurante, que faz um trocadilho com macaxeira no nome, está localizado no melhor ponto de Porto de Galinhas, no centro, perto da pracinha e das piscinas naturais. Tudo nele é charmoso, a iluminação, o porta-talheres, as cadeiras e até o banheiro tem uma decoração colorida e divertida.

A especialidade da casa é o gratinado de macaxeira recheado com carne de sol e catupiry (ou charque, camarão, filé mignon, frango, brócolis…). O prato parece um escondidinho só que com o purê  contendo pedaços maiores de mandioca. Ele vem em três tamanhos: mini, individual e grande, mas alerto que o “individual” dá para duas pessoas e custa R$ 21,90.

De entrada, recomendo o bolinho de macaxeira com charque (R$ 9,90), muito leve e saboroso, que voltamos comer mais de um dia. Destaque também para as caipifronzen (ou “nevadas”, como dizem em Recife) de mangaba (foto), cajá e pitanga (R$ 7,90 cada).

Música da boa

Para completar, o restaurante ficava em frente ao palco principal do Jazz Porto 2009, um festival de jazz e blues com músicos de vários lugares. Trilha sonora garantida.

Serviço:
BarCaxeira
Rua da Esperança, 458
Vila de Porto de Galinhas – Ipojuca-PE
Tel.: (81) 3552-1913
http://www.barcaxeira.com.br/

Anúncios

Oficina do Sabor: o retorno

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , , às 5:26 pm por Paula R.

Ops, errei um pouquinho a ordem cronológica. Antes de ir para Porto, ainda em Olinda, voltamos para a Oficina do Sabor para um repeteco da caipifruta de umbu cajá. O copo é quase um balde e não custa nem dez reais. Para acompanhar, uma porção de carne seca com macaxeira frita cortada fininha. Uma perdição.

> Veja o outro post sobre o restaurante.

Porto de Galinhas

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , , às 5:11 pm por Paula R.

Quando a gente está trabalhando, sentado em frente ao computador naquele “momento Dilbert“, um dos sonhos mais recorrentes é poder estar com os pés na areia e olhando o mar. Para completar o cenário, um peixinho frito para tomar com cerveja combinam tão perfeitamente que chegam a dar vontade de chorar.

Nos meus últimos dias de férias, fui para Porto de Galinhas pude fazer isso mais uma vez nesta vida. Na beira da praia, desgustei um peixe bem comum por lá: a agulhinha frita

Da primeira vez, a porção trazia ela inteira e a gente precisava abrir com a mão para tirar a espinha, que saía com facilidade. Tem gente que come até a cabeça ( Para quem é do interior: é o mesmo princípio do lambari). No outro dia, experimentei o filé, que poupava esse trabalho. Ambas versões aprovadas.

> Visite o site da cidade: www.portodegalinhas.com.br

(Fotos: Paula R.)

Cara de pau

Posted in Por aí tagged , às 4:01 pm por Paula R.

Cartaz do banheiro feminino do Bar Central, em Recife. Detalhe para o óleo de peroba.

28/11/2009

Alto da Sé

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , às 9:42 pm por Paula R.

Mesmo antes de sair de São Paulo já estava com vontade de comer tapioca e só fui matá-la em Olinda. A cidade é incrível, com suas igrejas, casarões coloridos e ruas de paralelepípedos. Lá, depois de subir a Ladeira da Misericórdia – que você pode imaginar a inclinação para ter esse nome -, está o Alto da Sé, com sua igrejinha charmosa e a vista que provavelmente arrancou a exclamação “ó, linda!” dos portugueses.

É lá também que tem uma feirinha de artesanato, com venda de toalhas de renda, hippies e barraquinhas de comidas diversas. O queijo coalho assado na brasa foi o melhor que comi até agora, sem contar as tapiocas: provei a de queijo coalho com carne seca (foto) e a de coco com leite condensado, ambas na barraca da “Geane e as Irmãs”. Os petiscos valem por uma refeição completa. E a vista não tem preço.

Serviço:
Alto da Sé, Olinda-PE

Oficina Brennand

Posted in Artes Plásticas tagged , , às 9:03 pm por Paula R.

Está na cara que este post é, na verdade, uma desculpa para falar de um lugar incrível que visitei essa semana. Ok, comi a torta de limão aí do lado no café e estava uma delícia, mas não é por ela que vale a pena conhecer a Oficina. Ela foi criada por Francisco Brennand a partir da reconstrução da Cerâmica São João da Várzea, fundada por seu pai, e quase 40 anos de produção de esculturas.

Nascido em 1927, o artista plástico não pára de criar, por isso a cada visita o parque pode estar com uma cara nova. Também há desenhos e pinturas. Achei diferente de tudo que já tinha visto, como se fosse um grande templo asteca com toques modernistas (os entendidos no assunto vão querer me matar pela visão simplista!)

Segundo palavras do site oficial: “a Oficina Brennand constitui-se num conjunto arquitetônico monumental de grande originalidade, em constante processo de mutação, onde a obra se associa à arquitetura para dar forma a um universo abissal, dionisíaco, subterrâneo, obscuro, sexual e religioso.”

Vale muito uma visita, mas tenha certeza de que o taxista sabe exatamente onde fica, pois o nosso se perdeu. A Oficina, por exemplo, não é o Instituto Ricardo Brennand, lugar que pretendo ir um dia.

 

Serviço:
Oficina Brennand
Propriedade Santo Cosme Damião
Engenho São João, Várzea
Recife-PE
Não abre de final de semana.
Tel.: (81) 3271-2466
http://www.brennand.com.br/

26/11/2009

Bar Central

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , , às 10:21 am por Paula R.

Se eu morasse em Recife, imagino que um bar que eu frequentaria seria o Central. Ele fica no centro (óbvio), perto da assembléia legislativa, a menos de duas quadras do calçadão do rio Capibaribe.

Há mesas na calçada, mas o ar condicionado foi mais convidativo. O ambiente interno é charmoso, à meia luz, com uma jukebox e um papel de parede enorme com a foto aérea da cidade, no estilo Google Maps. Ou a máquina de música só tinha discos legais ou o público do lugar tinha muito bom gosto, pois a noite toda só tocaram sons bacanas (com exceção de duas do Bee Gees).

Ficamos horas lá batendo papo e petiscando. Foi peixe frito, bolinho de arroz com charque e o caldinho de feijão, que merece um destaque, que levava carne de sol, um ovo de codorna e uma azeitona. Tudo muito bom.

O chopp estava R$ 2,90 e a Original R$ 6. A conta individual saiu R$ 42.

 

Serviço:
Bar Central
Rua Mamede Simões, 144
Boa Vista – Recife-PE
Tel.: (81) 3222-7622

(Fotos: Paula R.)

25/11/2009

Entre Amigos – O bode

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , às 11:38 am por Paula R.

Olhando para os últimos posts, parece que viajei, não para descansar, mas para comer. É claro que não é verdade, porém, comer está entre as coisas que mais gosto de fazer e, em terra onde tudo é novidade, fica difícil resistir.

Dentre as coisas que mais gosto de comer, está o camarão. Curiosamente, fui pedir minha primeira porção num restaurante que é, na verdade, especializado em carne de bode. Ele tem desde picanha até espetinho, mas não foi dessa vez que tive coragem de experimentar. Segundo a minha prima, o dono começou com um carrinho do lado de uma banca de jornais e hoje o restaurante pega quase 1/4 do quarteirão, além de ter uma segunda unidade.

O camarão ao alho e óleo custa R$ 36,90, mas estava em promoção no dia por R$ 19,90. O engraçado é que ele é refogado sem a casca e fica uma delícia – os com casca são chamados de “camarão a paulista” por aqui. A Original saía a R$ 6 e a Serra Malte não dava nem para cogitar a R$ 7,95. Mas com camarão a esse preço a gente dá um desconto.

Serviço:
Entre Amigos – O bode*
Rua Marquês de Valença, 30
Boa Viagem – Recife-PE
(81) 3312-1000
http://www.entreamigosobode.com.br/

*A outra unidade fica na: Rua da Hora, Espinheiro, 695

A little bit of Beatles

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , às 2:00 am por Paula R.

Fui conhecer o agito do Recife antigo na segunda-feira à noite. Entretanto, justamente por ser segunda-feira à noite, quase não havia nada aberto. Quando já tínhamos praticamente desistido de parar para aperitivar alguma coisa, encontramos uma mistura de bar e cyber café no meio da Rua do Bom Jesus, antiga Rua dos Judeus, chamado Caravelas.

O cardápio não tinha muita variedade, mas achamos que uma porção de bolinho de charque (carne seca) desceria bem. Para completar, uma banda começou a tocar ali mesmo na calçada; os músicos eram bons e o repertório praticamente todo dos garotos de Liverpool.

Quem dera poder bater um papo tranquilo no centrão de São Paulo a essa hora da noite.

Serviço:
Caravelas Cyber Café
Rua do Bom Jesus, 183
Recife Antigo, Recife-PE
(81) 3424-1952
http://caravelascafe.wordpress.com/

(Fotos: Paula R.)

24/11/2009

Oficina do Sabor

Posted in Pratos/restaurantes tagged , , , , às 12:03 pm por Paula R.

Enquanto o Museu da Cachaça não explora seu potencial turístico, o restaurante Oficina do Sabor, em Olinda, segue um caminho contrário. Comandado pelo chef César Santos, elevou a culinária pernambucana à mais fina gastronomia. Ele usa e abusa de elementos como o jerimum (moranga), carne de sol e macaxeira (mandioca) e vive lotado de turistas.

O casarão onde foi montado é patrimônio tombado e a decoração é toda especial, pensada nos mínimos detalhes para retratar com requinte a cultura regional. Ficamos na varanda principal, que tem vista da cidade alta para Recife e é bem ventilado – os ambientes internos têm ar condicionado (mais fotos no site).

De entrada, pedimos um mix de petiscos (antepasto de berinjela, queijo coalho a milanesa, filé de agulhinha, caldo de camarão, marisco gratinado, risóles de provolone, bolinho de charque e de bacalhau). Também provei o carro-chefe: jerimum com camarão ao molho de maracujá, que dá para dividir em duas pessoas. Coisa fina.

Para beber, foram duas caipiroskas divinas, uma de umbu cajá e outra de caju. A conta final, inacreditavelmente, saiu por R$ 58 para cada um.


Minhas guias: Carol e Cris

Serviço:
Oficina do Sabor
Rua do Amparo, 335
Cidade Alta, Olinda-PE
Tel.: (81) 3429-3331
http://www.oficinadosabor.com/

Próxima página