12/05/2010

Leite condensado

Posted in Receitas de doces tagged , , , , às 5:32 pm por Paula R.

Taí uma das coisas que figuram entre as maiores unanimidades gastronômicas. Pelo menos entre os “doçólatras”. É com ele que fazemos os docinhos (brigadeiro!), pudins, batidas e damos um up em qualquer salada de fruta. Abacaxi com leite condensado é tudo de bom!

Já a origem do produto é um pouco controversa na internet. Segundo a Wikipedia, ele teria sido resultado dos experimentos do francês Nicolas Appert (1749-1841), que descobriu que o aquecimento de alimentos em recipientes fechados podia interromper o processo de fermentação. Isso por volta de 1820.

Mas sua patente seria registrada somente em 1856 pelo norte-americano (sempre eles!) Gail Borden (1801-1874), que tentando desidratar o leite de vaca comum, descobriu que, antes de atingir o estado de leite em pó, se transformava no condensado. Com um maior tempo de duração, esse tipo de leite teria sido muito usado para alimentar os soldados na Guerra da Secessão nos EUA (1861-1865).

Detalhe: inicialmente o leite condensado era consumido diluído na água, para se tomar como leite. E, pelo visto, a coisa começou a descambar aqui no Brasil mesmo. Sorte nossa.

Você faz maravilhas com Leite Moça*

Já a história do leite condensado mais popular por aqui começou na Suíça. Segundo o site da fabricante, a Nestlé and Anglo Swiss Condensed Milk Co surgiu, em 1905, da sociedade entre o químico alemão (e morador da Suíça), Henri Nestlé, que criou uma farinha à base de leite e cereais – a Farinha Láctea -, e o americano George H. Page, que estava fabricando leite condensado na cidade suíça de Cham, se aproveitando do leite abundante e de boa qualidade produzido no País.

No Brasil, o leite condensado começou a ser comercializado em 1890 com o nome inglês Milkmaid, tradução de La Laitière, que significa a “vendedora de leite”, uma figura tipicamente suíça e que ilustrava as embalagens. Como as pessoas tinham dificuldade para pronunciar o nome, passaram a chamar o produto de “o leite da moça”. Quando começou a ser fabricado por aqui, em 1921, a Nestlé optou pela nome já usado pelos consumidores. Legal, né?

*No final de 2009, foram relançados os rótulos de 1937, 1946, 1957, 1970 e 1983, revestindo o formato acinturado mais recente. São esses aí de cima.

O blog

Depois de ler tudo isso sobre sua história, dá vontade mesmo é de comer algo preparado com ele. Para isso, recomendo o Leite Condensado, um blog especializado em receitas que utilizam o produto na confecção. São dois anos no ar e mais de 400 receitas.

> Visite: http://www.leitecondensado.com/

Nós também temos:

> Brigadeiro de café
> Palha italiana
> Mousse de maracujá
> Pudim de Baileys
> Pavê de Bis
> Batida de pêssego
> Sobremesa rápida de morango

Anúncios

3 Comentários »

  1. Carol said,

    Pasqua, adorei o post sobre Leite Condensando, mas gostei mesmo dos tais bolinhos de batata… Hummmm, estou com água na boca! A propósito, pedi para seguir vc no Twitter, ok? Aproveitei e coloquei o Órfã da Ofélia no blogroll do meu blog! Entra lá e vê: http://www.carolize.net. Voltei a atualizá-lo com uma pegada diferente e é meio portfólio, também! Beijos e vamos marcar nossa moqueca lá em casa!

  2. Muito interessante a história desse item indispensável na nossa cozinha! Sinceramente, eu não sou muito fã de doce, mas meu marido, se deixar, come uma lata dessa numa pancada só…

  3. Herta said,

    Mais interessante ainda é a “sacada” da Nestlé em adotar como marca a forma como os consumidores se referiam ao produto!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: