30/03/2011

Outro árabe na RW

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , às 11:59 pm por Paula R.

Dando continuidade à maratona Restaurant Week, quarta-feira fui jantar no Folha de Uva nos Jardins, já que a culinária árabe também é uma das minhas favoritas. O ambiente é bem arrumado (não refinado) e os garçons muito simpáticos, mas o cardápio promocional não chegou a atender às expectativas. As opções eram um pouco “clichê”, por assim dizer, e ficou claro que a casa não preparou nada especial para o evento. Inclusive, o que foi servido parecia vir do mesmo buffet que os clientes que pagavam um preço fixo podiam se servir à vontade.

A entrada, composta pelas pastas homus e babaganuche com pão sírio, estava realmente muito boa e foi o destaque da noite. O prato principal era um combinado de charutinhos de uva, kaftas e arroz marroquino, que estavam bons, mas relativamente comuns. A sobremesa foi o que menos gostei, o mallabye com damascos era um creme com leve sabor de manjar e foi servido num pratinho – e não num pote ou cumbuca como seria melhor – e veio todo desmilinguido. Sem contar que era um pouco insosso.

Além da entrada, outro ponto positivo foi o preço do vinho: o restaurante selecionou um cabernet chileno por R$ 27 a garrafa para clientes da RW.

> Veja o cardápio completo aqui.

Serviço:
Folha de Uva*
Rua Bela Cintra , 1435
Jardins – São Paulo-SP
Tel.: (11) 3062-2564
www.folhadeuva.com
*Tem unidade em Moema também.

(Foto: reprodução do site da casa)

29/03/2011

“Fast food” francês

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , às 11:59 pm por Paula R.

Não, não vou falar literalmente de fast food, mas não conseguia pensar em outro título para esse post diante da rapidez que foi meu almoço hoje no Ça Va Café: 30 minutos entre sentar e comer entrada, prato principal e sobremesa. Estava sozinha e isso faz com que a gente coma sem pausas para conversas, porém, achei que os pratos foram servidos muito rapidamente, me deixando com a sensação de que precisavam liberar minha mesa logo.

Estava disposta a almoçar comida francesa e acabei trocando o Marcel pelo Ça Va, pela distância do metrô e também porque a cara dos pratos participantes da Restaurant Week me apeteceu mais (eles não estão no site oficial do evento e podem ser visto na página da casa).

Dentre as opções, fiquei com:  mini crepe de palmito, ervas e legumes acompanhado de folhas; fricassée de frango grelhado ao molho de vinho branco e especiarias, cenoura julienne e arroz; e dame blanche (enformado de sorvete, frutas vermelhas e calda). Tanto a apresentação quanto o sabor dos pratos ficaram um pouco abaixo das minhas expectativas, com exceção do fricassée, que estava bem saboroso. De bebida, fui de Coca Zero a R$ 5,50, o que eu acho caríssimo – só perdeu para o Shintori, que cobrou R$ 6,50 o refrigerante em lata.

Nunca tinha ido ao Ça Va, apesar de ter ouvido falar muito bem, e acabei ficando com a sensação de que a casa não entrou pra valer na RW. E, quando digo “pra valer”, quero dizer entrar para cativar novos clientes, oferecendo pratos por um preço camarada, sem reduzir tamanho e qualidade. Mesmo não tendo parâmetro de comparação, algo me diz que o restaurante é muito mais do que o que provei.

Serviço:
Ça Va Café
Rua Carlos Comenale, 277 (próx. ao MASP)
Jardim Paulista – São Paulo-SP
www.cavacafe.com.br

28/03/2011

O indiano da vez

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , às 11:59 pm por Paula R.

Na edição passada da RW, conheci o Tandoor, que acabei elegendo como uma das melhores entradas que provei na ocasião. Depois disso, conheci o Gopala Hari, que é um indiano para o dia a dia, e, no sábado, finalmente fui ao Govinda, no Brooklin, a convite de amigos. O lugar é mais bonito do que no site, cheio de esculturas e estátuas de divindades indianas e animais; a maioria está a venda na loja da entrada.

Os garçons estavam um pouco enrolados, provavelmente por conta do aumento de público com a Restaurant Week (R$ 29,90 no almoço e R$ 39,90 no jantar), mas nada que atrapalhasse o andamento geral das coisas. A entrada era parecida com a do Tandoor e eu adorei: pão nan (pão indiano feito no forno tandoor), mini kebab (bolinho de carne moída recheado com ovo de codorna) e chutneys (molhos tradicionais como iogurte com hortelã, manga, banana, berinjela, gengibre…). O pão estava delicioso!

De prato principal, quase peguei a opção de carne bovina, mas acabei trocando pelo mutter curry (carneiro ao curry especial com arroz com iogurte e cenoura) – afinal, a vaca é sagrada na Índia, né? A carne estava bem macia e com um tempero elaborado, cheio de especiarias. Pra completar, o arroz era super leve, arrematando o prato. Acho que fiz uma boa escolha.

De sobremesa, como já conhecia o gulab, fiquei com o rasmalai (bolinho de queijo caseiro indiano, embebido em calda de leite adocicado com cardamomo e pistache). Bem interessante também. No geral, minha amiga que é frequentadora do lugar, disse que a única diferença que notou foi a da apresentação dos pratos, que, em geral, vêm em cumbucas.

> Veja o cardápio completo da RW

Serviço:
Govinda
R Princesa Isabel , 379
Brooklin – São Paulo-SP
Tel.: (11) 5092-4816
www.govindarestaurante.com.br

(Fotos: reprodução do site da casa)

27/03/2011

Cardápio árabe

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , às 11:59 pm por Paula R.

Desde que participei pela primeira vez da RW, umas duas edições atrás, tinha vontade de conhecer o Arábia, por conta dos elogios que meu “namorido” fez dos cardápios que provou. Acabava não conseguindo ir e deixava para a “próxima vez”. E essa vez chegou na última quinta-feira, quando fomos com uma amiga jantar na unidade dos Jardins.

Para garantir, tinha feito reserva, mas não é obrigatório. O ambiente tem iluminação amarelada, porém clara, paredes com detalhes em tijolinho à vista, e tecidos pendendo do teto para dar o toque árabe. Na mesa, um item que nunca tinha vista em outro lugar; um pequeno guardanapo de papel escrito Batom para a mulherada tirar o excesso de maquiagem  antes de limpar a boca no de tecido. Curioso e prático.

Escolhemos um vinho tinto libanês, sugestão da casa, feito com uma seleção de uvas. Do menu da Restaurant Week, pedi:  salada de papardele (um tipo de macarrão gravatinha) com lentilhas e cebolas caramelizadas (entrada), mini kaftas com molho de jabuticaba com arroz com aletria (principal) e sorvete artesanal de rosas (sobremesa). A casa ainda oferece uma cesta de pães diversos para acompanhar.

A entrada estava saborosa, inclusive a cebola caramelizada, mesmo eu não sendo fã de cebola. O prato principal também caiu muito bem, pois era agridoce e quem me conhece sabe o quanto gosto de misturar doce com salgado. Já a sobremesa foi a experiência, digamos, mais exótica; o sabor tinha o “gosto do cheiro” de rosas, se é que me faço entender, e isso eu acho um pouco estranho. Tem também as opções pistache, damasco e chocolate belga.

Gostei bastante do jantar em geral. O maitre passou nas mesas perguntando se estávamos satisfeitos e, no final, ainda respondemos a uma pesquisa de satisfação. Pretendo voltar e, se ainda der tempo, provar as opções de almoço da RW.

> Confira o menu completo aqui.


Serviço:
Arábia
R. Haddock Lobo , 1397
Jardins – São Paulo-SP
Tel.: (11) 3061-2203
www.arabia.com.br

(Fotos: reprodução do site da casa)

26/03/2011

Tarantino chique

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , às 10:00 am por Paula R.

Depois de perdermos a viagem na segunda-feira, fomos jantar no Shintori no meio da semana – a casa só aceita reservas e no site da Restaurant Week não havia nada sobre isso. De qualquer forma, na viagem perdida, já aproveitamos para solicitar a tal mesa. A casa é de 1975 e o prédio segue com as mesmas características da inauguração; me lembrou muito o tipo de restaurante em que o Quentin Tarantino filmaria algo na linha de Kill Bill I.

Passamos por uma roupa de samurai que impõe respeito para chegar ao bar, com suas cadeiras de design retrô, música ao vivo e pessoas que conversavam em voz baixa. Os 15 minutos de espera nem chegaram a ser um sacrifício: a parede dos fundos é toda de vidro e dá para um jardim japonês incrível. Também parecia uma paisagem cenográfica, com vegetação impecável, quedas d’água, carpas e lanterna de pedra. Enorme.

Nossa mesa ficava no andar de cima, que imagino ter sido reservado para a RW (R$ 29,90 o almoço e R$ 39,90 o jantar), pois tinha um público mais falante e de calças jeans. A decoração era clean e, ao mesmo tempo, marcantemente japonesa. Refletindo depois, acho que talvez tenha sido um dos restaurantes mais chiques que cheguei a ir, mas um chique diferente do estilo francês, ao qual estamos mais acostumados a atribuir refinamento.

A comida

O atendimento foi muito atencioso e o garçom até nos ajudou a entender a diferença entre sakê e shochu – ficamos com o primeiro. Do cardápio promocional, escolhi: sunomono (salada de pepino, sashimi de salmão, macarrão transparente e molho agridoce), Degustação Restaurant Week (pequenas porções individuais de peixe branco a milanesa, shimeji na manteiga, wasabi steak e shumai de frango com nira) – vi agora que no site diz que acompanha gohan (arroz branco) e missoshiru (sopa de pasta de soja), mas não foram servidos. A sobremesa era mizu yokan (gelatina de agar agar e frutas frescas).

A entrada era um verdadeiro trabalho arquitetônico, feita com fatias precisas de pepino dispostas sobre uma rodela de laranja e decoradas com o peixe e o restante dos ingredientes. Super bonito. E pequeno. A combinação criada para o evento estava bem gostosa, com destaque para o shumai, uma espécie de pastelzinho frito, e o peixe branco. Os pratos também vieram bem arrumados em cumbucas de louça japonesa, que eu amo, porém, em porções menores do que gostaríamos.

A culinária japonesa é uma das minhas preferidas, com exceção dos doces, que são suaves demais para o meu paladar. Acabei escolhendo a opção da gelatina de sobremesa, porque não sou fã da pitaya e da lichia, que compunham a outra opção, e me surpreendi. Era leve e encerrou bem o cardápio.

Sobre voltar, é claro que voltaria, mas para experimentar diversos pratos e comer bem, imagino que o preço saia alto. Nos guias que encontrei na internet, fala-se sobre um gasto de R$ 90 por cabeça – não duvidaria se fosse mais.

> Veja o cardápio completo da RW

Serviço:
Shintori
Al. Campinas , 600
Jardim Paulista – São Paulo-SP
Tel.: (11) 3283-2455
www.shintori.com.br

(Fotos: clique sobre para saber mais. Não clique na do jardim, por favor)

25/03/2011

Consulado Mineiro

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , , às 9:21 pm por Paula R.

Sabe quando parece que tudo acontece ao mesmo tempo e a gente parece ser levado pela corrente? Minhas últimas semanas têm sido assim, com pouco tempo para respirar. E isso me deixa impaciente com tanta coisa acontecendo também no campo deste blog, o aniversário, a RW… Já fui em quatro restaurantes e só consegui escrever sobre um!

Na quarta-feira, fui almoçar no Consulado Mineiro, uma casa em frente à Benedito Calixto, que eu sempre vejo, quando visito a feirinha clássica dos sábados, mas nunca tive coragem de enfrentar a multidão que faz fila por um chopp e quitutes.

Do cardápio da RW, experimentei: mini porção de bolinho de arroz com pastel de lombo (entrada), carne de sol de picanha com arroz, feijão tropeiro e mandioca frita (principal) e torta de coco com limão (sobremesa), que foi o que mais gostei – era bem doce, mas o amarguinho do limão dava uma equilibrada.

A minha carne estava muito saborosa e macia, mas a da minha amiga veio dura e muito mal passada (ao contrário do que ela tinha pedido), então ficamos no 1 x 1 nas amostragens. As entradas também eram gostosinhas e devem mesmo combinar com uma cerveja gelada.

Pra falar a verdade, não posso reclamar efetivamente de nada do lugar, porém, me arrependi um pouco de ter ido conhecê-lo na RW. Os preços do cardápio são bem acessíveis – R$ 19,90 o executivo, por exemplo – e fiquei com a sensação de ter gasto um cartucho à toa.

> Veja o cardápio completo da Restaurant Week


Na segunda foto, estão duas porções de entrada, a minha e a da @Tais_cp.

Serviço:
Consulado Mineiro
Praça Benedito Calixto, 74
Pinheiros – São Paulo-SP
Tel.: (11) 3088-6055/3064-3882
www.consuladomineiro.com.br

(Fotos: Paula R.)

24/03/2011

Com o pé direito

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , às 12:42 pm por Paula R.

Minha primeira incursão efetiva nesta edição da Restaurant Week foi no restaurante argentino La Caballeriza, na região da Paulista. Na verdade, ele era a segunda opção para o dia, pois tentamos ir ao Shintori, que fica no mesmo quarteirão, mas este só aceitava reservas. Felizmente, o imprevisto acabou no clássico “há males que vêm para o bem”.

La Caballeriza entrou na RW como eu acho que as casas devem entrar: com um cardápio honesto, boa qualidade (e quantidade) de comida e sem tratamento diferenciado aos clientes do menu especial (R$ 29,90 no almoço e R$ 39,90 no jantar).

Fomos à noite e, dentre as duas opções de cada prato, fiquei com: empanada de queijo com cebola (entrada), carne ojo la caballeriza com mix de folhas e batata espanhola (principal) e sorvete de laranja com calda de framboesas (sobremesa). A casa dava como sugestão um merlot argentino a R$ 45 a garrafa, que achamos muito honesto.

A empanada era diferente, com uma massa frita, mas que estava bem gostosa. O prato principal era maior do que a foto oficial do evento, o que é bem difícil, e a carne estava muito boa, macia e saborosa – o que dizer da carne argentina assada na lenha? A churrasqueira era do tipo que vimos em Buenos Aires mesmo. Nunca tinha tomado sorvete de laranja e achei que a sobremesa fechou com chave de ouro; era pura laranja com leite condensado e o azedinho da framboesa quebrava um pouco o doce. Talvez seja um pouco doce demais para algumas pessoas, mas estava ótimo para mim.

O ambiente é bem charmoso, com iluminação aconchegante e decoração preocupada em reproduzir o ambiente rústico de estábulos, com muita madeira e tijolos aparentes. O atendimento geral também foi aprovado.  Pelo preço do cardápio, acredito que dê para comer bem por lá gastando em torno de R$ 60 fora da RW. Voltarei outras vezes com certeza.

> Confira o cardápio completo no site da RW


Serviço:
La Caballeriza
Al. Campinas, 530
Jardins – São Paulo-SP
Tel.: (11) 3541-2220
www.lacaballeriza.com.br

(Foto: reprodução do site da casa)

22/03/2011

É dada a largada

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , às 12:00 pm por Paula R.

Chegou o período em que os blogueiros de plantão vivem esperando: a edição do primeiro semestre da Restaurant Week. Nessa 8ª edição, o evento se expandiu para diversas outras cidades do estado de São Paulo, como Grande ABC, São José dos Campos e litoral. É tempo de comer melhor por menos.

A Restaurant Week acontece de 21 de março e 3 de abril e oferece menus especiais (entrada, prato principal e sobremesa) a R$ 29,90, no almoço, e a R$ 39,90, no jantar. Já fiz minha estreia hoje no La Caballeriza, com o pé direito, e logo venho aqui contar como foi.

Seguem algumas dicas para aproveitar melhor a RW:

  • Bebidas, serviço e couvert não estão inclusos no preço, portanto, fique de olho para não assustar com a conta;
  • É melhor ligar para ver se é preciso reservar mesa. Alguns restaurantes só aceitam reserva, apesar de não constar nada no site do evento – descobri isso ontem, quando tentei ir no Shintori;
  • Diversos mapas presentes no site indicam o lugar errado. É mais garantido colocar o endereço no Google Maps;
  • Preste atenção no período em que o restaurante se inscreveu na RW – alguns só oferecem cardápio especial no almoço ou na janta;
  • Dica óbvia: se o menu dos dois períodos é o mesmo, tente ir na hora do almoço para sair mais barato;
  • Visite o site da SP Restaurant Week para pesquisar as casas participantes e conferir o cardápio oferecido.
  • Não deixe de doar R$ 1 para a ONG Ação Criança.

21/03/2011

Pizzeria Speranza

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , às 11:59 pm por Paula R.


Dando continuidade às festividades de aniversário do Órfã, o dia terminou em pizza. Como no ano passado, queria um lugar onde nunca havia ido e o escolhido foi a pizzaria Speranza, na 13 de Maio; já tinha ouvido falar inúmeras vezes do pão de linguiça da casa e esse foi o fator decisivo.

De entrada, como não poderia deixar de ser, pedimos o tortano, o tal do pão, que é bem gostoso, porém um pouco gorduroso e “salgado” – R$ 11,90 a fatia. As pizzas foram de mussarela de búfala com calabresa de javali e mussarela com presunto parma (R$ 55). Tudo estava saboroso e era feito com bons ingredientes, mas confesso que achei um pouco caro demais. É comida italiana, poxa vida!

Os vinhos seguiam a mesma linha e o mais barato que não era o da casa, um malbec argentino, saiu por R$ 60. Além do preço, achei o ambiente que ficamos muito claro, o que tirou um pouco o “aconchego” esperado de um restaurante de mamma.

Valeu mesmo pela companhia na hora do brinde. Filhos doentes, chuva e trânsito fizeram com que apenas três amigos conseguissem chegar, mas, como diz a filosofia popular, o importante é a qualidade e não quantidade. Obrigada pela presença, meninas!

A pizzaria Speranza foi aberta  em 1958 e é uma das mais tradicionais da cidade, premiada pela Veja, Época e Estadão. Não entraria no meu Top 5 de massas – estou ficando exigente com a idade? –, mas a casa tem fama suficiente para viver cheia. Quando fomos embora perto da meia noite ainda tinha gente chegando; o horário de fechamento é um ponto positivo: varia da 1h às 2h da manhã.

Serviço:
Cantina e Pizzeria Speranza*
Rua 13 de Maio, 1004
Bixiga – São Paulo-SP
Tel.: (11) 3288-8502/3288-3512
www.speranza.com.br
*Tem unidade em Moema também.

(Fotos: Paula R.)

20/03/2011

Mercado Municipal – O retorno

Posted in Aprovados (ou não) tagged , , , , , , às 4:43 pm por Paula R.


Já falei sobre o Mercadão por aqui, mas nunca é demais retomar o tema.  Uma das primeiras vezes que fui lá foi com um casal de amigos e, desde então, sempre que posso levo quem se hospeda na minha casa para conhecer. Na sexta-feira, dia do aniversário do blog, fui almoçar e passar a tarde por lá com duas amigas que não via há muito tempo.

Além da arquitetura bacana e dos quitutes de mortadela e bacalhau, o Mercado é uma perdição por conta de suas barraquinhas que vendem de tudo um pouco frutas, queijos, azeites, antepastos, carnes e temperos. Não conseguia sair de lá sem bolinhas de chocolate com licor, mas, nessa minha “nova fase”, descobri (e aprovei) as frutas desidratadas.

São as clássicas uva passa, damasco, figo, ameixa e maçã, além de abacaxi, morango, manga, mamão, goiaba e até caqui. O abacaxi e o morango são meus favoritos no momento (no blog Chocolatria tem até uma receita com ele que parece ser divina). Uma regra básica é fugir um pouco da “rua” principal e pesquisar os preços das barracas mais escondidas. Uma em que costumo ir batante é a Laticínios Estrela, que fica num cantinho.

Também dei uma pirada numa barraca de temperos, a Casa São Paulo; comprei mistura para peixes, caldo de legumes, tempero italiano, cheiro verde desidratado, entre outros. São inúmeros temperos e mix de ervas, embalados em pacotinhos que variam de R$ 1,75 a R$ 3. Na etiqueta, vem a indicação dos ingredientes, do país de origem e, muitas vezes, de onde usar.

Nota: na sexta, uma das amigas era vegan e, pela primeira vez, não comi sanduíche de mortadela ou pastel por lá. Acabamos almoçando no Raful, de comida árabe, e foi gostosinho também.

(Fotos: Paula R.)

Próxima página