18/06/2012

Na Freguesia

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , , às 11:08 am por Paula R.

Há anos lido com a frustração de nunca conseguir ir no Frangó para experimentar uma das “melhores coxinhas de São Paulo” – meu salgadinho predileto. Não tenho carro e moro na zona sul, o que levaria a conta do táxi a cifras desanimadoras. Porém, assim, quando eu menos esperava, surgiu o convite de um casal de queridos, que incluía carona de volta.

Era sábado e chegamos por volta das 20h30. Foi um pouco difícil encontrar lugar na rua e em estacionamentos, talvez por conta da festa junina da igreja da frente. Na fila de espera, que não demorou muito, já pude perceber que a casa é, na verdade, um ponto de encontro de aficcionados por cerveja – um moço de uma mesa próxima deu tantas instruções para o garçom abrir a garrafa sem amassar a tampinha, que mais parecia um cirugião ocular.

O bar fica num casarão antigo e tem três ambientes: a calçada, a salinha de entrada e um grande salão no subsolo; ficamos na primeira sala e acho que é o lugar mais aconchegante. As paredes são cobertas por itens cervejeiros, quadros, bolachas, garrafas, propagandas antigas. Charmosinho.

Nosso amigo tem se especializado em cervejas gourmet – de festivais a turismo por pubs, mas esse é assunto para outro post – e nos ajudou na missão de escolher as bebidas da noite. A quantidade de opções é tão grande, que a gente fica meio perdido. Para começar, pedimos a belga Malheur e uma trapista incrível, que não lembro o nome. Do alto da minha ignorância cervejeira, tenho chegado a uma conclusão: as trapistas são minhas favoritas. Fechamos a noite com uma Balthika de litrão, que ficou aguada demais depois das outras. No verão, pode ser uma boa pedida.

As cervejas, o lugar, tudo estava uma delícia, mas, infelizmente, a coxinha deixou a desejar. Pedimos uma porção logo de entrada e ela era, digamos, OK. Não era ruim, é claro, mas era bem normal, sem massa leve ou recheio de destaque – aliás, o pelote de catupiry nem derreteu para se misturar ao frango. Adaptando livremente o Homem-Aranha, “altas expectativas trazem grandes responsabilidades”. Mas isso não foi um problema. Voltarei sempre que tiver oportunidade, só que por motivos diferentes.

Serviço:
Frangó
Largo da Matriz Nossa Sra. do Ó, 168
Freguesia do Ó – São Paulo (SP)
Tel.: (11) 3832-4818
www.frangobar.com.br

(Fotos: Paula R.)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: