03/07/2012

Dia 5*: Vontades

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , , , , , às 10:24 am por Paula R.

Logo que fui sentenciada, ops, avisada da dieta restritiva antialérgica, me perguntaram do que eu mais sentiria falta nesses 40 dias e minha resposta foi imediata: rodízio de comida japonesa. Das bebidas, pensei na cerveja, porém, na prática, percebi que me fazem falta coisas bem mais corriqueiras. Um simples requeijão, um leite de caixinha, um presunto, uma omelete, um picolé de limão.

Até as tentações não foram as esperadas. Tirei o aniversário no boteco – com a melhor coxinha do mundo – e a festa junina de letra, mas que dificuldade sobreviver a Haagen Dazs! Minha irmã e uns amigos da Venezuela estavam por aqui e a sorveteria da Oscar Freire foi o lugar escolhido para encerrar o domingo – depois de obrigá-los a comer em casa o final de semana todo, não tinha como negar.

Imaginar como seriam os sabores novos, lembrar dos conhecidos e conferir as opções de taças fizeram os minutos até passarem devagar. Com isso, a Haagen Dazs ganhou a medalha de maior sacrifício da semana. E também entrou para a lista de lugares que tenho data marcada para visitar.

*Contagem da dieta antialérgica. Mais aqui e aqui.

Anúncios

02/07/2012

Criatividade sem limites 3

Posted in Bebidas, Filmes/TV tagged , , às 2:40 pm por Paula R.

01/07/2012

Dia 4*: Festa junina

Posted in Uncategorized tagged , , , às 10:09 am por Paula R.

Pensando cá com meus botões, acho que existem quatro épocas do ano em que deveria ser proibido uma pessoa ter que fazer controle alimentar: as férias, a Páscoa, as festas juninas e as festa de fim de ano. Costumo abrir exceções nessas épocas quando estou de dieta, mas quando o assunto é tratamento médico não dá para brincar.

Assim, nesse sábado, encarei minha primeira festa junina. Foi lá em Perus, quase uma cidade do interior na capital. A decoração estava boa, com bandeirinhas e histórias do Chico Bento, fogueira e até pescaria, mas eu seguia com uma dúvida: o que vou poder comer?

Felizmente, a surpresa foi boa, pois a festa era daquelas em que cada pessoa da família leva um prato, a maioria caseiro. Me esbaldei na mandioca frita, batata doce cozida e no lanche de carne louca. Delícia! Até na pipoca, que não sou muito fã, me arrisquei só porque estava liberada.

De beber, água. De doces, nada – e olhe que a mesa estava tentadora com cural, canjica, arroz doce, bolos de fubá de todos os tipos, pudins e um sem número de doces de amendoim, abóbora e coco. Para compensar, me acabei na quadrilha, coisa que não fazia há mais de uma década.

*Contagem da dieta antialérgica. Mais aqui e aqui.

(Img: quadro do Volpi)

Página anterior