11/12/2012

Junk food

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , , às 11:50 pm por Paula R.

Nem só de sopa de quinua vive o homem. Por isso, fizeram parte de nossos cardápios diversos tipos de sanduíches – inclusive em nossa primeira refeição em solo peruano. Alguns eram bem gostosos e outros nem tanto, mas podem ser uma boa opção de refeição mais barata e rápida.

Em Arequipa, inclusive, jantamos dois dias lanches que fizemos no albergue onde estávamos hospedados. Compramos baguete, peito de peru, azeitonas, maionese (Hellmans Sabor do Peru, que lembrava a nossa de limão), tomate e alface. Já estava com saudade de pão francês. Para beber, Arequipeña, nossa cerveja favorita, e um saldo de R$ 3,50 por pessoa cada refeição. Valeu a pena não só pela economia. Queria algo meio “neutro” depois do pior almoço de todos, mas isso é assunto para outro post.

Dinos Bar Pizzeria

dinos_peru

Na primeira noite em Cusco, ainda estávamos nos adaptando aos efeitos da altitude e optamos por um jantar leve. Eu pedi uma omelete de presunto e queijo, feita com um queijo curtido, mais próximo do nosso coalho do que da mussarela – mussarela, aliás, aparecia com mais facilidade nas pizzas.

A omelete era acompanhada de torradas e custava 8 soles/R$ 7. Para beber, provamos pela primeira vez Inka Cola, a tubaína dos peruanos. O refrigerante também é bem doce, com sabor “indefinido” e chama atenção pela cor de produto de limpeza. Não era ruim e repetimos a dose em outras ocasiões, mas achei doce demais para o meu gosto.

Nota:  uma omelete nem chega a ser uma junk food, mas, diante das divisões temáticas que tenho em mente para os posts, esta era a que mais se encaixava. Sem contar que era umas das melhores fotos da Inka Cola. Um pouco de “licença poética”.

Serviço:
Rua Choquechaka
(entre as ruas Siete Culebras e Siete Angelitos)
Cusco (PER)
Jantar de 3/dez.

Rua Plateros

plateros_peruplateros_peru2

A Calle Plateros é umas que desemboca na Plaza das Armas de Cusco e tem um sem número de restaurantes, lanchonetes e casas de câmbio. Infelizmente, não fiz minha lição de casa tão bem nessa viagem e não anotei o nome nem o número do restaurante. Para chegar, é preciso sair da praça em direção ao bairro, passando pela Mama África, baladinha famosa, que não chegamos a ir.

O restaurante fica do lado esquerdo, logo na primeira quadra. Um trio que divulgava um CD tocou músicas típicas sem cobrar couvert e animou a noite. O sanduíche que comemos era de filé de frango com abacate, no pão de hambúrguer, acompanhado de fritas (14 soles/ R$ 12,30). As batatas estavam um pouco gordurosas, mas a entrada merece destaque: um pãozinho fatiado, quente e acompanhado de molhos de alho e pimenta (“salsa picante”). Os condimentos apareceram em diversos outros restaurantes, para acompanhar pizzas ou carnes, e sempre caíam bem.

Serviço:
Rua Plateros
(entre as ruas Portal de Panes e Tigre, próximo ao Sol Plaza Inn)
Cusco (PER)
Jantar de 4/dez.

Km 0

km0_perukm0_peru2

Passamos o terceiro dia da viagem  conhecendo ruínas, paisagens e histórias do Valle Sagrado dos Incas, próximo a Cusco. Voltamos cansados e já nos considerávamos aptos a tomar uma cervejinha. A altitude (e o chá de coca) estava sendo nossa amiga.

Paramos neste bar no bairro de San Blas e, finalmente, provamos o famoso pisco sour, drinque feito com pisco (destilado de uva), clara em neve, limão e açúcar. Uma delícia! Para acompanhar, pastéis de queijo (“tequeños de queso”) com pasta de abacate temperada por 10 soles/  R$ 8,80. O pisco estava na promoção do happy hour: dois pelo preço de um (15 soles/ R$ 13,50).

Dividimos um sanduíche de pão de forma, filé mignon, queijo, tomate e alface acompanhado de fritas por 16 soles/ R$ 14). Era saboroso, mas a carne muito fina e o restante dos recheios em pequena quantidade. Para acompanhar, cerveja Cusqueña de 620 ml (12 soles/ R$ 10,50).

Nota: Com a altitude, os efeitos das bebidas eram potencializados e acabamos bebendo menos do que faríamos no Brasil. Achei bem curioso.

Serviço:
Rua Tandapata, 100
San Blas – Cusco (PER)
Jantar de 5/dez.

La Orilla

laorilla_peru

Como a carne vermelha não era das melhores nos restaurantes que passamos, demoramos para arriscar um hambúrguer em terras andinas. Felizmente, demos sorte ao escolher o La Orilla, numa das principais ruas da cidade boliviana de Copacabana. O restaurante com cara de bar, decorado com motivos marinhos, tocava um pouco de jazz e blues. Aconchegante.

O hambúrguer estava bem gostoso, mesmo sentindo um pouquinho de músculo na carne moída. Nada que baixasse a nota do prato. Como na Bolívia nosso dinheiro chega a valer mais de três vezes o local, todas as refeições foram baratas, principalmente se comparadas a São Paulo. O cheese salada, por exemplo, saiu por 16 bolivianos/ R$ 5,15. Recomendo.

Serviço:
Av. 6 de agosto (próximo ao cais)
Copacabana (BOL)
Jantar de 13/dez.

Mega Burguer

Diante do caos de La Paz e da falta de tempo, não explorarmos muitos restaurantes por lá. Logo na primeira noite, acabamos no Mega Burguer, uma lanchonete recomendada por um dono de agência de turismo muito simpático. Ele tinha dado várias dicas de transporte, lojas e de passeios para o salar de Uyuni, então aceitamos mais esta. Andamos quase 3 km – ele fez questão de nos acompanhar na caminhada, contando sobre sua vida e não tivemos coragem de desistir – e o lanche não era nada demais.

O hambúrguer com queijo, presunto e ovo de gema mole (medo!) mais fritas saiu por 17 bolivianos/ R$ 5,50 e a Coca-Cola de 600 ml por 6 bolivianos/ R$ 1,95.

Serviço:
Av. Busch, 1899*
La Paz (BOL)
Jantar de 15/dez.

*Não anotei o endereço e encontrei esse no Google. De qualquer forma, parece que a lanchonete é uma rede conhecida na cidade.

Sabor Cubano

saborcubanoAs coisas em La Paz fecham mais cedo do que esperávamos – 22 h parece ser o limite – e, em nosso último dia por lá, almoçamos e jantamos no mesmo lugar. Além de ser perto do hotel, o Sabor Cubano parecia não ter hora para fechar. O ambiente era acolhedor e, à noite, ainda mais animado. Quatro músicos se revezavam no palco improvisado para tocar ritmos cubanos. Se não tivesse que madrugar no aeroporto, teria ficado mais.

Jantei um sanduíche de frango, abacate e tomate (17 bolivianos/ R$ 5,50) que estava bem bom. Ficamos com a  Coca, pois só havia cerveja cubana de latinha a um custo x benefício não muito atrativo. O refrigerante de 600 ml era 10 bolivianos/ R$ 3,35.

Serviço:
Rua Sagarnaga, 153
La Paz (BOL)
www.saborcubanobolivia.com
Jantar de 20/dez. Img reproduzida do site.

:. Escrito em 19/jan. Mais sobre a viagem aqui.

(Fotos: Paula R.)

Anúncios

2 Comentários »

  1. Fernanda said,

    Delícia de viagem, não? Fiquei com vontade de programar uma viagem ao Peru AGORA. como o que tenho pra hoje é SP, acho que vou experimentar a hamburgueria St. LOUIS……..
    Abraços e que venha o post do pior almoço!

  2. Carol said,

    Quero Inça Kola, esses pastéis de queijo e pisco sour ,p/já!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: