15/01/2014

A padaria do seu Olavo

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , , , , , , , às 4:16 pm por Paula R.

padaria_seu_olavo

O perfil de Facebook com o nome acima é recém-saído do forno. Estreou no dia 7 de janeiro de 2014 e tem como carro-chefe textos curtinhos reunidos sob a alcunha de “Pedidos inusitados da padaria do seu Olavo”.

Não sei muito sobre o projeto, mas o perfil diz que as narrativas se transformarão “em um curta-metragem produzido pela Candiero Produções, Wilson Freire e Micheliny Verunschk. Seu Olavo, portuga de poucas palavras e muita paciência, herdou a padaria do seu pai, um negócio familiar, no qual o segredo do sucesso é a atenção para com o freguês e o pronto atendimento. Só não vale pedir fiado.”

Os posts, sem imagens, misturam humor, romance e filosofia com metáforas culinárias. Tem como não amar?

Alguns dos meus favoritos:

“Dois suspiros dobrados, um abraço apertado, um amor sem fim com recheio de geleia de uva.”

“Uma água sem gás, um bem casado e uma ilusão que não se desmanche no ar, faz favor.”

“Por obséquio, três sonhos pra viagem e uma realidade pra comer aqui mesmo, bem quente.”

“Um doce de ovos, um chocolate quente, um mistério pra emocionar minha vida, por gentileza e obséquio.”

“Faz favor, uma coxinha com catupiry, um refri e meio quilo de filosofia barata fatiada fininha.”

> Para acompanhar ou contribuir, acesse o perfil.

(Foto: reprodução do perfil)

Anúncios

25/06/2013

Aceita um cafezinho?

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , , , , , às 11:58 pm por Paula R.

pilao

São poucos os dias, mas às vezes meu trabalho se mistura com os temas aqui do Órfã da Ofélia. Uma delas foi esse frila sobre a história do café, patrocinado pela Pilão.

Não sou grande consumidora da bebida – exceção feita a “coisas” de café, como sorvete, bala, brigadeiro… –, mas gostei muito de produzir esse material. Sou fã de história e curiosidades, além de ter afinidade com a imigração italiana e a malha ferroviária do estado (acreditem se quiser: meu TCC da faculdade foi sobre a Companhia Paulista!).

O encarte publicitário saiu na Folha de S. Paulo e nO Globo. Espero que gostem da leitura!

> Dá para ler a versão online aqui.

Nota: é claro que o espaço era pequeno para o tanto de informações que existem sobre o café, portanto, para quem se interessar pelo assunto, seguem duas recomendações de leitura:

> História do café no Brasil e no mundo (José Teixeira de Oliveira)
> Chefs Café (diversos autores)

:. Agradecimentos especiais à Camila P., minha amiga barista, que emprestou os livros e tirou algumas dúvidas sobre o tema.

13/11/2012

Comilona do bem

Posted in Por aí, Sopa de Letrinhas tagged , , , , às 2:34 pm por Paula R.

O gibi de novembro da Magali, personagem da Turma da Mônica (Maurício de Souza Produções), traz um encarte especial de combate ao trabalho infantil. A revistinha de 16 páginas é gratuita e faz  parte da campanha “É da nossa conta! Trabalho Infantil e Adolescente”, promovida pela Promenino – Fundação Telefônica Vivo em parceria com a Unicef e a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

Segundo o site da Promenino: “a campanha busca sensibilizar e potencializar a ação de diversos públicos, por meio de produção de conteúdo,  peças de comunicação e ações específicos para crianças, adolescentes, jovens e especialistas no assunto. Espera-se, desta forma, que a sociedade civil como um todo possa reconhecer situações de trabalho infantil e adolescente, atuando também como mobilizadora da causa.” Acho que, nesse caso, conseguiram um aliado de peso.

> Saiba mais sobre a Promenino e Turma da Mônica.

(Img: reprodução do site da Folha)

27/08/2012

Gravlax de salmão

Posted in Receitas de salgados, Sopa de Letrinhas tagged , , , , às 4:31 pm por Paula R.

Não é todo dia que seu amigo que escreve sobre informática (esse termo ainda se usa?) aparece numa matéria ensinando uma receita de salmão. A ideia era testar um prato do livro Cooking fo Geeks, de Jeff Potter (2010, Ed. O’Reilly), que traz receitas práticas e curiosidades sobre esse universo que podem interessar aos “nerds”, como informações técnicas e origens históricas.

O gravlax de salmão parece ser bem interessante e fácil, mas vale ressaltar que precisa ficar 24 horas na geladeira antes de servir para pegar bem o tempero. O prato tem origem escandinava e quem não tem o livro do Potter pode saber mais aqui.

Os ingredientes são:
Posta de salmão de 450 g
5 colheres (chá) de sal grosso
1 colher (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de endro fresco (ou coentro)
1 colher (sopa) de vodka
1 colher (chá) de pimenta do reino
Plástico filme


Misture os ingredientes numa vasilha e acomode a posta de salmão sobre um pedaço de plástico filme.


Espalhe a mistura sobre o salmão e embale.


Deixe na geladeira de 24 a 36 horas – Aliás, que geladeira, hein? -, virando esporadicamente para o tempero ficar mais uniforme. Fatie na hora de servir.

> Fica mais simples ainda vendo o vídeo do portal da revista Info.
> Para saber mais, uma entrevista com o autor na Abril e a página oficial do livro.

:. Special thanks to Juliano B.

(Fotos: prints do vídeo da Info)

24/08/2012

A sentença

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , , às 12:08 pm por Paula R.

Semana passada toda essa história de dieta e alergia chegaria ao fim. Peguei os resultados dos exames, minhas anotações sobre o que tinha comido-bebido-usado nas 48 horas antes da primeira crise e fui para a alergologista sem muita esperança de descobrir o que causara tudo.

Felizmente, os exames não indicaram nenhuma incompatibilidade alimentar, apenas uma alergia leve a poeira doméstica. A médica estava com a expressão da primeira consulta, quando me disse que 95% das pessoas tinham uma alergia não diagnosticada na vida, até conferir todos os itens da minha listinha pré-crise.

– Você comeu iogurte vencido?
– … (sorriso amarelo)
– Vencido há mais de DOIS MESES?!?
– … (sorriso amarelo cabisbaixo)

Pois é, caros leitores, fiz isso. Nem sabia como deixar a vergonha de lado e assumir o deslize, mas que minha imprudência sirva para que não passem pela mesma coisa. Quando tentei lembrar de tudo o que havia comido para fazer a lista para a médica, depois de especular sobre os poderes malignos do bacon, fui conferir a validade do produto na geladeira e já imaginei que o problema estaria ali – mesmo acreditando que esse tipo de coisa pudesse causar um desarranjo instestinal ou vômito e não uma alergia.

Na verdade, a constatação da médica foi a seguinte. No domingo, dois dias antes da crise, fizera um bazar de trocas entre amigas na minha casa, o tipo de evento recheado da tal poeira doméstica. Com isso, meu organismo precisou se defender liberando um monte de histamina. Nos dias que se seguiram, me alimentei de muitas coisas com corantes e conservantes (gelatinas, patês, embutidos, refrigerante…), que também exigem liberação dessa substância. E, por fim, quando os iogurtes – sim foram mais de um! – caíram na minha circulação sanguínea, foram uma bomba.

Provavelmente, o bacon tenha acelarado o processo ou sido a gota d’água, mas há grandes chances de que ele, o pó e a comida industrializada sozinhos não teriam causado nada. Toda essa história foi uma grande dor de cabeça e um belo susto, porém, saio dela com diversos aprendizados. Parece que tem coisas que a gente só aprende na marra.

> Para saber como tudo começou, acesse aqui e aqui. E a novela toda.

(Foto: Paula R.)

09/08/2012

Goiaba

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , , , , às 2:20 pm por Paula R.

Debaixo da goiabeira
Com goiabas nas mãos
Esperei Bia chegar.

Um bem-te-vi cantou
E Bia não chegou.
Depois um sabiá
Sabia que Bia ia demorar.

A tarde era azul
Do jeito de Bia estar.

Bia não veio.

Comi goiabas sozinho
Ouvindo insulto de passarinho.

João Fabrício (1984 – , Salvador)
Do livro “O demônio na árvore” (2004), Selo Liceu da Juventude – Liceu de Artes e Ofícios da Bahia

(Img: ilustração de Mariana Massarani, reproduzida do blog Muitos Desenhos)

26/07/2012

Quatro semanas*

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , , às 2:49 pm por Paula R.

Acho que essa quarta semana foi marcada por uma espécie de libertação. Foi quando, finalmente, consegui relaxar e a dieta restritiva fluiu com naturalidade. Também consegui passar por um final de semana gastronômico com almoços no Gopala Hari, buffet de saladas no America e jantar no Marakuthai.

Quanto aos doces, estava bem servida com um de damasco e um de goiaba providenciados pela família, porém, foi difícil enfrentar uma TPM sem chocolate. Tem coisas que a frutose não faz por você.

Por outro lado, um saldo positivo é que não parei de emagrecer, apesar de não controlar as quantidades, comer carboidratos e doces, chá com açúcar etc. Até agora, se foram 4,6 kg. Ooh lalah!

*Contagem da dieta antialérgica. Mais aqui e aqui.

19/07/2012

Três semanas*

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , , , , às 2:51 pm por Paula R.

Com a dieta restritiva, os posts apetitosos caíram consideravelmente por aqui. Imaginei que isso fosse inevitável, mas a boa notícia é que já passei da metade do prazo estipulado. Essa terceira semana, entretanto, foi marcada por uma gripe bem chatinha.

Nunca fico doente e há meses tomava complexos vitamínicos para dar uma força para o sistema imunológico, mas tive que parar por conta do tratamento da alergia. Também por causa disso, não posso tomar nenhum remédio, o que me fez enfrentar a gripe na unha. Foi um período de muita dor de garganta, coriza e sinusite, regado apenas a chás e sucos de laranja – só não cheguei a apelar para o clássico chá de alho com limão.

Tendo em mente que minha alimentação anda bem natural, há de se pensar que está sendo totalmente saudável, o que não justificaria a gripe. Porém, por falta de planejamento meu, alguns dias acabo comendo pouco, demorando muito para comer ou mesmo me satisfazendo apenas com pão e queijo branco, o que pode acarretar na falta de nutrientes. Melhorarei.

Não foi das coisas mais fáceis, mas já passou. Talvez o mais difícil que tive que enfrentar até agora foi resistir aos brigadeiros da festa da minha irmã que fui no final de semana. Isso sim foi dolorido.

*Contagem da dieta antialérgica. Mais aqui e aqui.

(Foto: Anya/stock.xchng)

12/07/2012

Duas semanas*

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , às 11:50 pm por Paula R.

Catorze dias são suficientes para passar pela fase mais crítica da “abstinência” de uma dieta restritiva. O trabalho causado por ter que cozinhar praticamente todas as refeições também começa a fazer parte da rotina e já dá para ter certeza de que vou sobreviver. Brincadeiras à parte, para comemorar a data, resolvi fazer uma listinha – sempre elas! – com um balanço do que tenho comido até aqui.

Carnes: bovina ou frango em 50% das refeições (ou menos).
Temperos: alho, cebola, sal e ervas.
Para adoçar: açúcar mascavo.
Café da manhã: chá (ou suco de laranja) e pão com queijo branco.
Lanche da tarde: frutas ou leite batido (de saquinho) com banana.
Fora de casa: queijo quente com suco de laranja com mamão.
Pão francês: com queijo branco frio, quente, assado com orégano, com azeite, doces de frutas ou hamburguer caseiro (sem ovo e com temperos naturais).
Doces: caseiros de goiaba, damasco e de banana.
Nos bares: batata e mandioca frita com suco de laranja.
Meu reino por: sorvete, chocolate e cerveja.

Nota: para encerrar, uma anotação estilo Bridget Jones: mais 1,2 kg off (3,7 kg no total).

05/07/2012

Primeira semana*

Posted in Sopa de Letrinhas tagged , às 11:03 pm por Paula R.

Depois de um certo chororô, eis que completo uma semana de “dieta restritiva antialérgica”, alcunha escancarada que adotei. Relendo os primeiros posts, é até engraçado me dar conta da diferença entre o que eu achava que me aguardava e o que realmente aconteceu nesses primeiros dias.

Não, minha vida social não deixou de existir. Sim, é possível não passar fome comendo somente coisas saudáveis e sem conservantes. Muitos dos contratempos acabaram sendo resultado de uma fase de adaptação de hábitos. Tenho que cozinhar em casa todo dia, levar marmita para o trabalho, e isso faz com que tenha que me planejar melhor, ter sempre carne e verduras frescas em casa, esse tipo de coisa.

Também tenho que ser criativa nos temperos, nos preparos, para que não fique tudo com o mesmo gosto todos os dias. Mas é aquele tipo de desafio dos bons, que a gente só tem a ganhar. Dia desses minha prima me fez a pergunta já clássica de “O que você come, então?”, logo após desfiar a lista de proibições da dieta, e foi, então, que me dei conta de que tinha uma resposta mais clara: como o tipo de comida que minha mãe fazia quando morava com ela.

Outra constatação interessante está relacionada à balança. Em uma semana, perdi 2,5 quilos sem me preocupar em comer pouco. Não abro mão do pão francês (o único liberado) e os meus pratos de arroz com feijão são bem servidos, o que me leva a refletir sobre quantas calorias nos reservam os enlatados, embutidos e congêneres.

*Contagem da dieta antialérgica. Mais aqui e aqui.

(Foto: Paula R.)

Próxima página