16/10/2011

Fazendo arte

Posted in Aprovados (ou não) tagged , , , , , às 9:58 pm por Paula R.

Na vida de uma pessoa em dieta tem dessas coisas: só hoje abri minha última caixa de chocolate da Páscoa! Ganhei a “Fazendo Arte”, da Cacau Show, em um amigo-secreto por conta da minha afinidade com trabalhos manuais. O kit vem com três barras de chocolate em formato de coelho, ovo e cenoura, acompanhadas de tubos de glacê comestível nas cores branco, laranja e verde.

A ideia é boa e deve ter causado furor com a criançada. O problema é que o glacê não seca nunca e pode terminar em bagunça. Também achei muito glacê para pouco chocolate – usei menos de ¼ de cada tubinho para decorar as peças. Fica-a-dica, Cacau Show.

28/12/2010

Do Fasano à Cepam

Posted in Aprovados (ou não) tagged , , , , , , , às 11:30 pm por Paula R.


A origem do panettone é um pouco controversa, mas a maioria das versões parece concordar que a receita de um “pão naturalmente fermentado e recheado com frutas cristalizadas” foi criada em Milão, na Itália, talvez por volta do século XV. E, como grande parte das receitas italianas, ganhou as graças do brasileiro e, hoje em dia, é quase um sinônimo de Natal.

Gosto dessas “comidas de época” e, desde pequena, como panettone com margarina – o chocottone, uma invenção mais recente, acho gostoso por si só. A cada ano surgem novas receitas, algumas só com uvas passas, outras com doce de leite, ameixa, goiabada, outras com tudo isso junto.

Nunca tinha pensado em fazer em casa, mas andei vendo umas receitas por aí – como essa do Prato Fundo – que parecem interessantes. Neste Natal, também provei pela primeira vez três marcas que merecem destaque.

Fasano (mais de R$60)

Quem nunca ouviu falar do restaurante Fasano? Número 1 em 9 a cada 10 listas de restaurantes na categoria comida italiana, a casa é tão inatingível para a maioria dos paulistanos quanto é famosa. O medo dos cifrões sempre tiraram o Fasano das minhas opções na hora de escolher um lugar para comer bem – talvez falte conhecer alguém que tenha ido e incentive com aquele “é caro, mas vale à pena”.

O mais perto que cheguei do Fasano até então foi do seu panettone, compartilhado pela minha prima Romi. A “receita clássica”, como eles mesmo intitulam, é de 1902 e merece respeito pela longevidade. Massa fofinha, com textura fresca e frutas cristalizadas. Nem precisei de margarina.

> Visite: http://www.fasano.com.br/

Cacau Show (R$ 35)

A versão recheada com trufa de avelã minha irmã ganhou de presente e também teve que repartir com a família. Era bem recheado e a cobertura de chocolate ao leite tornava o exemplar mais um doce do que qualquer outra coisa. Acabou num café da tarde.

> Veja os outros sabores em: http://www.cacaushow.com.br/

Cepam (menos de R$ 10)

A Cepam é uma panificadora na Vila Prudente, que fica pertinho da casa de uns amigos. Eles me levaram lá para jantar outro dia – e isso dá um outro post – e ficamos perdidos com a quantidade de opções de panettones que a casa oferecia, a maioria da Village (não entendi direito, mas acho que a padaria pertence à marca). Compramos um de doce de leite e gotas de chocolate, que nem vinha na caixinha e tinha sido feito no dia anterior, ou seja, fresquíssimo. Muito gostoso e custou apenas R$ 5,50.

Também levamos um chocottone fatiado, que, infelizmente, não encontrei foto na internet e nós devoramos antes de qualquer registro. Custou R$ 7,90 e é do formato de um pão de forma, mas com gosto e textura de chocottone. O comentário geral do pessoal que experimentou lá em casa foi: Por que ninguém pensou nisso antes?

> Mais em: http://www.villagecepam.com.br/

(Fotos: reproduções daqui e daqui)