02/04/2015

Clássico

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , às 11:16 am por Paula R.

IMG_5477

Tem dias que um pão na chapa com pingado salva vidas. Encostar num balcão movimentado e pedir a dupla dá aquela sensação de pertencimento a uma cultura popular, uma instituição paulista na qual a gente nem se percebe, mas se está.

É como um código próprio que não precisa ser traduzido, que entende que o pão é um pão francês (também chamado de filão e filãozinho, no interior, ou “aguinha” mais particularmente na minha cidade), que deve levar margarina ou manteiga e ser chapeado até formar uma casquinha crocante e dourada, que não interfere na maciez do restante.

Já o pingado é a combinação de um pouco de café com um bom tanto de leite quente e, muitas vezes, é servido no copo americano. Café da manhã simples, sem brioches, croissant, queijo, geleias ou sucos detox. Coisa de “boteco” e “padoca”, que também já fazem parte do nosso vocabulário, ou daqueles estabelecimentos que a gente chama de boteco ou padoca, mas, na verdade, servem apenas PFs e lanches.

Fazia tempo que não tomava um pingado com pão na chapa na rua – afinal, em casa, não os chamamos assim -, mas hoje resolvi dar uma paradinha numa lanchonete na saída do metrô. Foram 15 minutos e R$ 5 que produziram o milagre de me fazer voltar a escrever e deixaram meu dia, digamos, mais ensolarado.

Para quem estiver na região do Sumaré:

Flor da Chapada
R. Oscar Freire, 2519,
São Paulo, SP (metrô Sumaré)
Tel.: (11) 3081-1988

Foto do meu Instagram (@margatsni_ad_aluap): Pra começar o dia bem paulista: pão na chapa e pingado. ❤️ #pãonachapa #pingado #breakfast #coffee #food #pinheiros #sãopaulo #brasil #nofilter #orfadaofelia

Anúncios

31/07/2013

Top 5: Coisas das quais senti falta

Posted in Top 5 tagged , , , , , às 1:56 pm por Paula R.

coisasquesentifalta

Como não posso chegar assim sem mais explicações, depois de quase um mês sem escrever, lá vai: estive viajando de férias e não consegui ter muito acesso à internet nesse tempo, pois não estou adaptada às tecnologias wi-fi (shame!). Também não consegui deixar posts programados, nem avisar que ia sumir por uns tempos. É, acho que vou mesmo arder no mármore do inferno da blogosfera.

Mas, para compensar, registrei um sem número de comidinhas legais que provei durante a viagem para compartilhar por aqui. São pratos típicos, cervejas (muitas cervejas!) e improvisos das minhas peripécias – muito bem acompanhada de minhas irmãs – por Berlim, Viena, Bratislava, Budapeste, Praga e Rostock. Espero que gostem!

Comi bem por lá, mas é engraçado identificar que coisas simples do dia a dia podem fazer falta. Por isso, retomo os trabalhos do Órfã com meu “Top 5” de coisas das quais senti falta:

1. café com leite
Substitutos nos cafés da manhã: sucos e iogurtes.
2. pão francês
Os pães por lá são diferentes, mais duros ou tipo brioches, e são acompanhados de patês ou cremes à base de queijo. Gostosos também, mas nada da crocância do francês, nem da suculência do pão tostado na frigideira.
3. feijão
Não encontrei feijão em nenhum cardápio – arroz, em poucos. Adoro batata, mas um arroz-com-feijão bem feito é imbatível!
4. salada de folhas
Alface parece ser artigo raro. Quase tudo é à base de pepino, tomate e repolho.
5. escrever para o blog 🙂

(Fotos do stock.xchng: Adriano Alves (pães), Karen Andrews (feijões), Jenny W. (café) e Ana Batista (alface))