18/12/2017

“Ursinho Puff”, meu chinês em Madri

Posted in Bares/Restaurantes tagged , , , , , às 11:29 am por Paula R.

IMG_0263

Amante que sou da comida oriental, confesso que, nessa minha temporada em Madri, vivo com saudade dos restaurantes da Liberdade, em São Paulo. Não sei se o tipo de comida não emplacou aqui ou se a presença pequena de descendentes japoneses são os responsáveis por isso, mas a boa notícia é que, finalmente, encontrei um restaurante chinês para chamar de meu.

Como li num outro blog é “o restaurante chinês que a gente não fala o nome muito alto para que não subam os preços ou surjam filas”. O restaurante se chama Xiongzai, mas na fachada está escrito apenas 熊仔解馋坊, assim em ideogramas mesmo. Por conta da decoração inusitada, é conhecido entre os ocidentais como “Winnie The Pooh” ou o restaurante do “Ursinho Pooh” entre os brasileiros – na minha época chamávamos de Ursinho Puff!

O lugar é simples, bem localizado, muito barato (muito mesmo) e a comida é excelente! Dividi com uma amiga uma sopa de talharine de arroz, algas e carne ( 3,50), dim sum de camarão e caranguejo no vapor (4 unidades por 3,90) e bao de pato com cogumelos (3 unidades por 3,50). Para beber, uma cerveja chinesa por $ 1,95. Comi muito bem e gastei $ 7,35!

O cardápio é pequeno, o que costuma ser um bom sinal. Neste tempo frio, as sopas são uma boa pedida – cuidado com a picante, que é mesmo muito picante -, mas os dim sum e baos são obrigatórios. Quero voltar para provar todos os sabores!

Se alguém quiser conhecer, só me chamar.

IMG_0257

IMG_0261

IMG_0256

IMG_0264

Restaurante Xiongzai
Calle San Leonardo, 3
Próximo ao metrô Plaza de Espanha
Madri (ESP)

Anúncios

30/03/2009

Sukiyaki

Posted in Receitas de salgados tagged , , às 7:21 pm por Paula R.

sukiyaki_web

:. Médio – Comida oriental – Porção para 15 pessoas
:. Receita recomendada por Luiz Antonio, leia-se, meu pai.

Ingredientes: 
1/2 kg de peito de frango
1/2 kg de pernil de porco
1/2 kg de alcatra
3 cenouras
1 brócolis, 1 couve-flor, 1 nabo, 1 acelga (talo e folhas)
1 maço de cebolinha verde
1/2 copo de conhaque
Macarrão udom ou para yakissoba
Shoyu
Maisena (opcional)
Margarina
Forma redonda com 3 dedos de altura

Dica: para incrementar a receita, adicione cebola cortada em pétalas, ervilha torta e cogumelo shitake.
Dica 2: esse prato é relativamente fácil de fazer, mas a primeira etapa de preparo leva tempo. Por isso, se for servi-lo no almoço, é melhor deixar os ingredientes prontos na noite anterior ou acordar bem cedo.
Dica 3: com estes ingredientes dá para fazer umas 3 receitas. Assim, coloque apenas 1/3 de cada coisa por vez.

Modo de preparo:

Etapa 1
– Fatie as cenouras na diagonal e afervente. Reserve a água do cozimento.
– Tire todas as peles e “nervinhos” das carnes e corte-as em tirinhas. Acomode numa vasilha sem misturar os tipos.
– Corte o brócolis em partes de mais ou menos 4 dedos de comprimento, com os talos.
– Separe a couve-flor em “árvores” pequenas.
– Fatie o nabo na diagonal.
– Desfolhe a acelga, rasgando as folhas em partes pequenas. Separe os talos das folhas e fatie na diagonal, em tirinhas. – Corte as cebolinhas em partes de 4 dedos de comprimento.
– Cozinhe o macarrão.

Etapa 2
– Leve a forma ao fogo, derreta a margarina e refogue a carne de porco, depois a de vaca e por último a de frango, separadamente. Dica: arrume no formato da logomarca da Mercedes.
– Arrume o brócolis ao lado de uma das fileiras de carne, a couve-flor ao lado de outra carne e assim sucessivamente com o nabo, os talos de acelga, a cebolinha, os incrementos, sempre como os raios de uma roda de moto.
– Acrescente um copo com metade de conhaque e metade de água da cenoura. Caso queira engrossar o caldo, adicione uma colher de sopa de maisena à mistura.
– Cubra a forma com os pedaços da folha de acelga, formando uma tampa natural e regue com o shoyu. Se preferir apressar o cozimento, tampe a forma com uma tampa.
– Quando os ingredientes estiverem cozidos, desligue o fogo. A forma pode ir para a mesa.
– Os convidados devem se servir primeiro do macarrão no prato e sobre ele colocar o sukiyaki. Todos se servem da panela com seus próprios hashis (palitinhos).

Historinha…

O sukiyaki é um prato de origem camponesa no Japão, que, com o passar dos anos, se transformou numa receita mais sofisticada e acabou ganhando o mundo. Dizem que, ao ser servido, reafirma os laços afetivos, familiares ou de amizade. Em geral, o dono da casa prepara a primeira receita para os convidados, mostrando como se faz e, na sequência, passa esta função para um deles, seguindo assim sucessivamente.

Esta receita em específico, meu pai aprendeu durante um jantar na casa dos Yabuke, em Rio Claro (SP), em comemoração à formatura do casal, que tinha sido aluno da minha mãe. Isto deve ter acontecido há mais de 10 anos e, desde então, a receita faz história na minha família em batizados, aniversários, comemorações…

Tinha aprendido que a palavra sukiyaki significava “amizade”, porém, pesquisando na internet, descobri que ela vem dos significados compostos por suki (rastelo) e yaki (assar), ou seja, “assar com o rastelo”. Mas isso não muda em nada a essência do prato, que é de reunir pessoas amigas, do preparo à degustação, celebrando coisas boas, não é mesmo?

(Foto: Stock.xchng)